quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

desvaneios da mente..

Queria contar palavras para explicar equações de pensamentos e emoções.
Queria ter a mão da coragem e a força da ousadia para quebrar as correntes do sonho e entrar na realidade.
Ou então não...
Quero sonhar com sntimentos verdadeiros compostos de imagens majestosas de vida imaginada.
Quero sentir o toque demorado de alguém que faz parte de mim, quero tocar o alguém que sinto em meu redor.
Quero acreditar naquilo que estou a sentir e sentir que o sonho poderá ser realidade e que essa realidade é isto e o meu verdadeiro sonho...

...

és tu!

domingo, 20 de setembro de 2009

Jed Dickens!

Jed Dikens!
Para alguns um nome sem significado, para outros a sagração de uma nova geração de bandas.
Esta jovem banda, residente e natural de Elvas, em pleno Alentejo, procura com as suas letras e as suas tonalidades mostrar que afinal o jovem também sabe tocar. Não precisamos de ir muito longe para dar exemplos, mas em concerto, o público sempre amigo já entoa as suas músicas, como ‘Poor Jimmy’ e ‘Another ride’ em comunhão com a banda.
Formada por três integrantes, amigos acima de tudo, encontraram-se anteriormente noutras bandas, que não só lhes deu a experiência que agora é notável em Jed Dickens, como lhes deu a amizade que partilham no palco.
Com Eduard Dickens na bateria dando a batida e as vozes, John Dickens a acompanhar o compasso no baixo e nas vozes também e Dani Dickens na guitarra e a expressar tudo o que têm a dizer como voz principal, Jed Dickens dão-nos a entender que vieram para ficar e que não vão parar.
Com bastantes originais em sua posse, as suas músicas já são reconhecidas e ouvidas nos mp3, e é com emoção que todos as cantam nos seus concertos.
Para apresentação da banda, lançaram uma maqueta, mas um cd espera-se para breve, entretanto enfrentam a estrada realizando concertos aqui e ali, sendo este aqui Elvas e arredores, e o ali chegando até ao Porto, Alcobaça, Lisboa ou Alburquerque.
Combatendo a história, mostram que o Grunge ainda está vivo, não esquecendo o Punk Rock, que transformam, assim, as suas músicas numa mistura alternativa de sons e batidas que prendem o público e o fazem bater o pé.
Sempre com divertimento à mistura, esta banda vai cantando os problemas da sociedade em que se encontram e procuram uma saída a estes problemas, utilizando assim a música como escape e como protesto da sua revolução interior.
Esta banda ainda tem muito para dar, e muitos concertos não irão faltar, enquanto não chegam a todas as regiões vamos ouvindo as suas revelações e acreditando que ainda se faz música jovem em Portugal!
Ouçam Música, Ouçam Grunge, Ouçam Punk Rock, Ouçam JED DICKENS!
Formiga*

www.myspace.com/jeddickens
www.jeddickens.blogspot.com

merchadising : ep (com seis originais): 3 euros
pin: 1 euro
tshirt's: rapariga 6 euros e rapaz 6,50 euros

é favor de ouvirem, comentarem, e se tiverem alguma dúvida é só comunicarem. :)

terça-feira, 25 de agosto de 2009

domingo, 9 de agosto de 2009

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Viagens

Bate suavemente
A lua sobre o jardim
Não se vê o seu encontro
Não se sabe o seu fim
E canta
Canta sem fim
Entoando os sete acordes
Dedilhando nas cordas da vida
Como a respiração da criança nascida
Olha à tua volta
Repara na imensidão
Tudo volta e rebola
Enquanto me dás a mão
Pensas que é tudo uma ilusão
Mas eu digo não
Olharemos o céu
E as nuvens partirão
Palavras para quê?
Se o que interessa
É o que se vê
Iremos voar
E na terra aterrar
Mandando um abraço
A quem chorar!
Amigos de coração cheio
Ouçam o meu cantar
Juntem-se a nós
E o mundo mudar
Para a Amizade comandar!

Pensamentos

"Aquilo que deres a uma mulher, ela vai torna-lo maior. Se deres o seu esperma, ela da-te um bebé. Se lhe deres uma casa, ela vai dar-te um lar. Se lhe deres compras de mercearia, ela vai dar-te uma refeição. Se lhe deres um sorriso, ela vai dar-te o seu coração. Ela multiplica e amplia o que lhe é dado. Portanto, se lhe deres qualquer porcaria, é bom que estejas preparado para receber uma tonelada de merda. "


(autor desconhecido)

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Dr. Martin Luther King - "I Have a Dream" (dispensa explicações)

video

"I Have a Dream"

Five score years ago, a great American, in whose symbolic shadow we stand signed the Emancipation Proclamation. This momentous decree came as a great beacon light of hope to millions of Negro slaves who had been seared in the flames of withering injustice. It came as a joyous daybreak to end the long night of captivity. But one hundred years later, we must face the tragic fact that the Negro is still not free.
One hundred years later, the life of the Negro is still sadly crippled by the manacles of segregation and the chains of discrimination. One hundred years later, the Negro lives on a lonely island of poverty in the midst of a vast ocean of material prosperity. One hundred years later, the Negro is still languishing in the corners of American society and finds himself an exile in his own land.
So we have come here today to dramatize an appalling condition. In a sense we have come to our nation's capital to cash a check. When the architects of our republic wrote the magnificent words of the Constitution and the Declaration of Independence, they were signing a promissory note to which every American was to fall heir.
This note was a promise that all men would be guaranteed the inalienable rights of life, liberty, and the pursuit of happiness. It is obvious today that America has defaulted on this promissory note insofar as her citizens of color are concerned. Instead of honoring this sacred obligation, America has given the Negro people a bad check which has come back marked "insufficient funds." But we refuse to believe that the bank of justice is bankrupt. We refuse to believe that there are insufficient funds in the great vaults of opportunity of this nation.
So we have come to cash this check -- a check that will give us upon demand the riches of freedom and the security of justice. We have also come to this hallowed spot to remind America of the fierce urgency of now. This is no time to engage in the luxury of cooling off or to take the tranquilizing drug of gradualism. Now is the time to rise from the dark and desolate valley of segregation to the sunlit path of racial justice. Now is the time to open the doors of opportunity to all of God's children. Now is the time to lift our nation from the quicksands of racial injustice to the solid rock of brotherhood.
It would be fatal for the nation to overlook the urgency of the moment and to underestimate the determination of the Negro. This sweltering summer of the Negro's legitimate discontent will not pass until there is an invigorating autumn of freedom and equality. Nineteen sixty-three is not an end, but a beginning. Those who hope that the Negro needed to blow off steam and will now be content will have a rude awakening if the nation returns to business as usual. There will be neither rest nor tranquility in America until the Negro is granted his citizenship rights.
The whirlwinds of revolt will continue to shake the foundations of our nation until the bright day of justice emerges. But there is something that I must say to my people who stand on the warm threshold which leads into the palace of justice. In the process of gaining our rightful place we must not be guilty of wrongful deeds. Let us not seek to satisfy our thirst for freedom by drinking from the cup of bitterness and hatred.
We must forever conduct our struggle on the high plane of dignity and discipline. we must not allow our creative protest to degenerate into physical violence. Again and again we must rise to the majestic heights of meeting physical force with soul force.
The marvelous new militancy which has engulfed the Negro community must not lead us to distrust of all white people, for many of our white brothers, as evidenced by their presence here today, have come to realize that their destiny is tied up with our destiny and their freedom is inextricably bound to our freedom.
We cannot walk alone. And as we walk, we must make the pledge that we shall march ahead. We cannot turn back. There are those who are asking the devotees of civil rights, "When will you be satisfied?" we can never be satisfied as long as our bodies, heavy with the fatigue of travel, cannot gain lodging in the motels of the highways and the hotels of the cities. We cannot be satisfied as long as the Negro's basic mobility is from a smaller ghetto to a larger one. We can never be satisfied as long as a Negro in Mississippi cannot vote and a Negro in New York believes he has nothing for which to vote. No, no, we are not satisfied, and we will not be satisfied until justice rolls down like waters and righteousness like a mighty stream.
I am not unmindful that some of you have come here out of great trials and tribulations. Some of you have come fresh from narrow cells. Some of you have come from areas where your quest for freedom left you battered by the storms of persecution and staggered by the winds of police brutality. You have been the veterans of creative suffering. Continue to work with the faith that unearned suffering is redemptive.
Go back to Mississippi, go back to Alabama, go back to Georgia, go back to Louisiana, go back to the slums and ghettos of our northern cities, knowing that somehow this situation can and will be changed. Let us not wallow in the valley of despair.
I say to you today, my friends, that in spite of the difficulties and frustrations of the moment, I still have a dream. It is a dream deeply rooted in the American dream.
I have a dream that one day this nation will rise up and live out the true meaning of its creed: "We hold these truths to be self-evident: that all men are created equal."
I have a dream that one day on the red hills of Georgia the sons of former slaves and the sons of former slaveowners will be able to sit down together at a table of brotherhood.
I have a dream that one day even the state of Mississippi, a desert state, sweltering with the heat of injustice and oppression, will be transformed into an oasis of freedom and justice.
I have a dream that my four children will one day live in a nation where they will not be judged by the color of their skin but by the content of their character.
I have a dream today.
I have a dream that one day the state of Alabama, whose governor's lips are presently dripping with the words of interposition and nullification, will be transformed into a situation where little black boys and black girls will be able to join hands with little white boys and white girls and walk together as sisters and brothers.
I have a dream today.
I have a dream that one day every valley shall be exalted, every hill and mountain shall be made low, the rough places will be made plain, and the crooked places will be made straight, and the glory of the Lord shall be revealed, and all flesh shall see it together.
This is our hope. This is the faith with which I return to the South. With this faith we will be able to hew out of the mountain of despair a stone of hope. With this faith we will be able to transform the jangling discords of our nation into a beautiful symphony of brotherhood. With this faith we will be able to work together, to pray together, to struggle together, to go to jail together, to stand up for freedom together, knowing that we will be free one day.
This will be the day when all of God's children will be able to sing with a new meaning, "My country, 'tis of thee, sweet land of liberty, of thee I sing. Land where my fathers died, land of the pilgrim's pride, from every mountainside, let freedom ring."
And if America is to be a great nation, this must become true. So let freedom ring from the prodigious hilltops of New Hampshire. Let freedom ring from the mighty mountains of New York.
Let freedom ring from the heightening Alleghenies of Pennsylvania!
Let freedom ring from the snowcapped Rockies of Colorado!
Let freedom ring from the curvaceous peaks of California!
But not only that; let freedom ring from Stone Mountain of Georgia!
Let freedom ring from Lookout Mountain of Tennessee!
Let freedom ring from every hill and every molehill of Mississippi.
From every mountainside, let freedom ring.
When we let freedom ring, when we let it ring from every village and every hamlet, from every state and every city, we will be able to speed up that day when all of God's children, black men and white men, Jews and Gentiles, Protestants and Catholics, will be able to join hands and sing in the words of the old Negro spiritual,
"Free at last!
free at last!
thank God Almighty, we are free at last!"



"Que a Liberdade Ressoe" "Eu tenho um Sonho"

Há cem anos, um grande americano, sob cuja sombra simbólica nos encontramos, assinava a Proclamação da Emancipação. Esse decreto fundamental foi como um raio de luz de esperança para milhões de escravos negros que tinham sido marcados a ferro nas chamas de uma vergonhosa injustiça. Veio como uma aurora feliz para terminar a longa noite do cativeiro. Mas, cem anos mais tarde, devemos enfrentar a realidade trágica de que o Negro ainda não é livre.
Cem anos mais tarde, a vida do Negro é ainda lamentavelmente dilacerada pelas algemas da segregação e pelas correntes da discriminação. Cem anos mais tarde, o Negro continua a viver numa ilha isolada de pobreza, no meio de um vasto oceano de prosperidade material. Cem anos mais tarde, o Negro ainda definha nas margens da sociedade americana, estando exilado na sua própria terra.
Por isso, encontramo-nos aqui hoje para dramaticamente mostrarmos esta extraordinária condição. Num certo sentido, viemos à capital do nosso país para descontar um cheque. Quando os arquitectos da nossa república escreveram as magníficas palavras da Constituição e da Declaração de independência, estavam a assinar uma promissória de que cada cidadão americano se tornaria herdeiro.
Este documento era uma promessa de que todos os homens veriam garantidos os direitos inalienáveis à vida, à liberdade e à procura da felicidade. É óbvio que a América ainda hoje não pagou tal promissória no que concerne aos seus cidadãos de cor. Em vez de honrar este compromisso sagrado, a América deu ao Negro um cheque sem cobertura; um cheque que foi devolvido com a seguinte inscrição: "saldo insuficiente". Porém nós recusamo-nos a aceitar a ideia de que o banco da justiça esteja falido. Recusamo-nos a acreditar que não exista dinheiro suficiente nos grandes cofres de oportunidades deste país.
Por isso viemos aqui cobrar este cheque - um cheque que nos dará quando o recebermos as riquezas da liberdade e a segurança da justiça. Também viemos a este lugar sagrado para lembrar à América da clara urgência do agora. Não é o momento de se dedicar à luxuria do adiamento, nem para se tomar a pílula tranquilizante do gradualismo. Agora é tempo de tornar reais as promessas da Democracia. Agora é o tempo de sairmos do vale escuro e desolado da segregação para o iluminado caminho da justiça racial. Agora é tempo de abrir as portas da oportunidade para todos os filhos de Deus. Agora é tempo para retirar o nosso país das areias movediças da injustiça racial para a rocha sólida da fraternidade.
Seria fatal para a nação não levar a sério a urgência do momento e subestimar a determinação do Negro. Este sufocante verão do legítimo descontentamento do Negro não passará até que chegue o revigorante Outono da liberdade e igualdade. 1963 não é um fim, mas um começo. Aqueles que crêem que o Negro precisava só de desabafar, e que a partir de agora ficará sossegado, irão acordar sobressaltados se o País regressar à sua vida de sempre. Não haverá tranquilidade nem descanso na América até que o Negro tenha garantido todos os seus direitos de cidadania.
Os turbilhões da revolta continuarão a sacudir as fundações do nosso País até que desponte o luminoso dia da justiça. Existe algo, porém, que devo dizer ao meu povo que se encontra no caloroso limiar que conduz ao palácio da justiça. No percurso de ganharmos o nosso legítimo lugar não devemos ser culpados de actos errados. Não tentemos satisfazer a sede de liberdade bebendo da taça da amargura e do ódio.
Temos de conduzir a nossa luta sempre no nível elevado da dignidade e disciplina. Não devemos deixar que o nosso protesto realizado de uma forma criativa degenere na violência física. Teremos de nos erguer uma e outra vez às alturas majestosas para enfrentar a força física com a força da consciência.
Esta maravilhosa nova militancia que engolfou a comunidade negra não nos deve levar a desconfiar de todas as pessoas brancas, pois muitos dos nossos irmãos brancos, como é claro pela sua presença aqui, hoje, estão conscientes de que os seus destinos estão ligados ao nosso destino, e que sua liberdade está intrinsecamente ligada à nossa liberdade.
Não podemos caminhar sozinhos. À medida que caminhamos, devemos assumir o compromisso de marcharmos em frente. Não podemos retroceder. Há quem pergunte aos defensores dos direitos civis: "Quando é que ficarão satisfeitos?" Não estaremos satisfeitos enquanto o Negro for vítima dos incontáveis horrores da brutalidade policial. Não poderemos estar satisfeitos enquanto os nossos corpos, cansados das fadigas da viagem, não conseguirem ter acesso a um lugar de descanso nos motéis das estradas e nos hotéis das cidades. Não poderemos estar satisfeitos enquanto a mobilidade fundamental do Negro for passar de um gueto pequeno para um maior. Nunca poderemos estar satisfeitos enquanto um Negro no Mississipi não pode votar e um Negro em Nova Iorque achar que não há nada pelo qual valha a pena votar. Não, não, não estamos satisfeitos, e só ficaremos satisfeitos quando a justiça correr como a água e a rectidão como uma poderosa corrente.
Sei muito bem que alguns de vocês chegaram aqui após muitas dificuldades e tribulações. Alguns de vocês saíram recentemente de pequenas celas de prisão. Alguns de vocês vieram de áreas onde a vossa procura da liberdade vos deixou marcas provocadas pelas tempestades da perseguição e sofrimentos provocados pelos ventos da brutalidade policial. Vocês são veteranos do sofrimento criativo. Continuem a trabalhar com a fé de que um sofrimento injusto é redentor.
Voltem para o Mississipi, voltem para o Alabama, voltem para a Carolina do Sul, voltem para a Geórgia, voltem para a Luisiana, voltem para as bairros de lata e para os guetos das nossas modernas cidades, sabendo que, de alguma forma, esta situação pode e será alterada. Não nos embrenhemos no vale do desespero.
Digo-lhes, hoje, meus amigos, que apesar das dificuldades e frustrações do momento, ainda tenho um sonho. É um sonho profundamente enraizado no sonho americano.
Tenho um sonho que um dia esta nação levantar-se-á e viverá o verdadeiro significado da sua crença: "Consideramos estas verdades como evidentes por si mesmas, que todos os homens são criados iguais".
Tenho um sonho que um dia nas montanhas rubras da Geórgia os filhos de antigos escravos e os filhos de antigos proprietários de escravos poderão sentar-se à mesa da fraternidade.
Tenho um sonho que um dia o estado do Mississipi, um estado deserto, sufocado pelo calor da injustiça e da opressão, será transformado num oásis de liberdade e justiça.
Tenho um sonho que meus quatro pequenos filhos viverão um dia numa nação onde não serão julgados pela cor da sua pele, mas pela qualidade do seu caractér.
Tenho um sonho, hoje.
Tenho um sonho que um dia o estado de Alabama, cujos lábios do governador actualmente pronunciam palavras de ... e recusa, seja transformado numa condição onde pequenos rapazes negros, e raparigas negras, possam dar-se as mãos com outros pequenos rapazes brancos, e raparigas brancas, caminhando juntos, lado a lado, como irmãos e irmãs.
Tenho um sonho, hoje.
Tenho um sonho que um dia todo os vales serão elevados, todas as montanhas e encostas serão niveladas, os lugares ásperos serão polidos, e os lugares tortuosos serão endireitados, e a glória do Senhor será revelada, e todos os seres a verão, conjuntamente.
Esta é nossa esperança. Esta é a fé com a qual regresso ao Sul. Com esta fé seremos capazes de retirar da montanha do desespero uma pedra de esperança. Com esta fé poderemos transformar as dissonantes discórdias de nossa nação numa bonita e harmoniosa sinfonia de fraternidade. Com esta fé poderemos trabalhar juntos, rezar juntos, lutar juntos, ir para a prisão juntos, ficarmos juntos em posição de sentido pela liberdade, sabendo que um dia seremos livres.
Esse será o dia quando todos os filhos de Deus poderão cantar com um novo significado: "O meu país é teu, doce terra de liberdade, de ti eu canto. Terra onde morreram os meus pais, terra do orgulho dos peregrinos, que de cada localidade ressoe a liberdade".
E se a América quiser ser uma grande nação isto tem que se tornar realidade.
Que a liberdade ressoe então dos prodigiosos cabeços do Novo Hampshire.
Que a liberdade ressoe das poderosas montanhas de Nova Iorque.
Que a liberdade ressoe dos elevados Alleghenies da Pensilvania!
Que a liberdade ressoe dos cumes cobertos de neve das montanhas Rochosas do Colorado!
Que a liberdade ressoe dos picos curvos da Califórnia!
Mas não só isso; que a liberdade ressoe da Montanha de Pedra da Geórgia!
Que a liberdade ressoe da Montanha Lookout do Tennessee!
Que a liberdade ressoe de cada Montanha e de cada pequena elevação do Mississipi.
Que de cada localidade, a liberdade ressoe.
Quando permitirmos que a liberdade ressoe, quando a deixarmos ressoar de cada vila e cada aldeia, de cada estado e de cada cidade, seremos capazes de apressar o dia em que todos os filhos de Deus, negros e brancos, judeus e gentios, protestantes e católicos, poderão dar-se as mãos e cantar as palavras da antiga canção negra:
"Liberdade finalmente!
Liberdade finalmente!
Louvado seja Deus, Todo Poderoso, estamos livres, finalmente!"

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Céu



um dia destes olhei para o céu, e pensei que daria uma boa foto. Eu gostei :)

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Abbie Hoffman

Porque um pouco de história e cultura não faz mal a ninguem, deixo aqui este vídeo sobre Abbie Hoffman, um activista hippie dos anos 60, extremamente radical mas bem realista! O segundo filme, é sobre o filme 'Geração hippie' ('Steal this film'), biografia de Abbie Hoffman e dos anos 60, anos de revolução, em que muitos lutaram pela simples liberdade de ezpresssãoque muitos hoje desprezam por ninharias... Aconselho vivamente!
video

Sinopse do filme: GERAÇÃO HIPPIE! É uma expedição que acompanha a ascensão e queda de Abbie Hoffman - activista, radical, fugitivo, amante - e leva-nos por um labirinto de música, sexo, drogas e política, na viragem para os anos 70. A história de Abbie reflecte uma cultura que trocou o conforto pela liberdade, o dinheiro pela paixão, o prazer pelo instinto. Ele iluminou uma legião de soldados renegados da geração hippie. Eram jovens, audazes, provocadores e subversivos. Abbie iria liderá-los e inspirá-los, fazendo-os despertar as suas consciências e ajudando a acabar com a guerra do Vietname. Como um Robin dos Bosques psicológico, ele 'libertava' do materialismo e da tacanhez dos ricos. Ele queimou dinheiro e 'levitou' o Pentágono. Com o amor da sua vida, Anita, ao seu lado, Abbie desafiou o poder e seduziu toda uma geração a entrar em acção. O legado de Abbie revive em todos os que questionam o sistema, que lutam pela liberdade de expressão, e em todos que simplesmente amam.

video

sábado, 27 de junho de 2009

Voz do melro

Deito-me no vale dos lençóis destinada a revelar por fim o que os sonhos me transmitem. Entro então num místico vale de ilusões, ouvindo sempre ao longe uma voz, uma voz que me vai guiando nos sonhos de cores, pelas montanhas do vento e pelas estradas de música.
Olho para o lado e encontro um melro que me diz: eu cuido de ti! Eu confio nele, pois a voz assim me diz para confiar. Seguimos então os dois, por caminhos lindos que só a percepção colorida consegue perceber. Eu percebo… o melro também… a voz também…
Percorremos lindos caminhos, e enquanto vivemos os sonhos alegres, a voz vai relatando o nosso caminho.
Eles caminham juntos sempre contentes, com o amor na alma, e a paz no coração. Não sabem para onde vão nem quem encontrarão, nem querem fazer. Vão sempre ouvindo a banda sonora preferida, aquela que diz a sua vida, dois corações a baterem em uníssono, peito que canta com alma, sem nunca calar a voz que lhe corre nas veias.
Sim nós caminhamos juntos, eu e o melro, que me canta baixinho ao ouvido, pois a sua música só é reconhecida por quem já viu o arco-íris com os olhos fechados e conseguiu identificar as suas cores quando o mundo se vestia de preto e branco.
Vamos caminhando, ao nosso lado só existem histórias, flores e animais, flores que se abraçam na tormenta da felicidade, peixes que riem porque a vida lhes corre bem, rios de cor azul brilhante que correm, não, dançam, como as árvores que as acompanham num delicioso ritual de harmonia de qualquer batuque, tique taque, conhecido como o bater do coração.
Chegamos então a um largo campo, coberto de cores mágicas segredadas pelo vento à música das árvores, decidimos ficar por aí…
Dizemos então, eu e o melro, a voz amiga que sempre nos guiou e acompanhou, não vens ?
Vão vocês que eu já lá vou ter…
O melro segreda-me ao ouvido… acorda… e a voz abraça-me e assim acordo para o mundo colorido que é a alma da vida do coração de quem canta sem ouvir música…

Eu não sei

Eu não sei falar disso
Não sei se o isso
De que falam
É o isso que eu penso
Mas penso que é disso
Que eu sofro
Se soubesse eu falar
Sem pensar em sofrer
Não iria ser tão difícil
Saber o isso que quero
Ou o isso que sinto
E quanto mais o isso vive
Mais o coração aperta
Mas desata como um nó
De cada vez que penso nisso
Nisso que é isso
Que é por isso
E disso que o coração é feliz
Quando o isso
Me fala disso
E diz é isso!

quarta-feira, 17 de junho de 2009

e mais um...

Vejo uma sombra ao longe com uma cor brilhante, penso que estou a sonhar por essa luz me deixar contente. O vazio que sinto começa a desvanecer e a sombra aproxima-se e num sorriso diz: sempre sonhei em te ter ! A luz torna-se mais clara e a escuridão desaparece levando com ela as nuvens do passado sombrio...

terça-feira, 16 de junho de 2009

desvaneios da mente

Suavemente no luar, ouço um suspirar... Não encontro o seu destino mas sinto o seu respirar... Penso então no seu olhar e sinto-me feliz por apenas ali poder sonhar...

segunda-feira, 15 de junho de 2009

desvaneios da mente

Sou um pássaro que tenta voar nas calhas desta nuvem, não consigo, porém, me libertar, por mais asas que me ajudem...

Gritos mudos

Dizem que o silêncio tudo diz, dizem que o tempo tudo leva.
Esse silêncio não o conheço e o tempo ainda não passou por aqui.
Porque é que as palavras, que supostamente são as fundações do nosso discurso, do nosso pensamento, enfim, parte de nós, porque é que elas magoam e porque é que elas não saiem quando nós necessitamos ou pedimos?
Tanta palavra que temos dentro de nós, mas que quando abrimos a boca se transforma em sussurros sem alma nem direcção.
Como fazer com que os ouvintes percebam as palavras que eu quero dizer e não aquelas que eu conheço?
Porque conseguimos dizer a todo o mundo aquilo que sentimos e a quem interessa, as palavras fecham-se no silêncio de um grito absurdo.
Não consigo respirar, as palavras acumulam-se na garganta com pressa de chegar à saída mas quando lá chegam os obstáculos apresentam-se e o seu percurso volta a entalar-me no meu sufoco.
Não consigo chorar, pois à água secou, os gritos não que querem a companhia de lágrimas, não querem saber se isto é real ou não.
Sorrir? Sim sorrio, não porque quero mas sim porque é mais fácil usar um disfarce do que dizer a realidade.
Mas este sentimento continua, um sentimento que me faz sentir absoluta por não poder fazer nada, ou melhor, por não conseguir fazer nada para mudar a minha situação.
Silêncio? Sim conheço-o, já há muito tempo que habita perto de mim, que me acompanha quando as minhas palavras querem sair e ele teima em as guardar.
Gritos mudos, sim gritos mudos, que se libertam mas que vão sozinhos sem a companhia das palavras.
Tempo…esse já passou e sempre foi tarde demais…tarde demais para falar, tarde demais para sorrir, tarde demais para tentar, tarde demais para voltar, é tarde, muito tarde e os gritos continuam a roer-me a alma que se encontra já perfurada pelos sentimentos que não me abandonam.
Gritos mudos, apenas gritos mudos…

momentos de inspiração



bem isto foi um momento daqueles, para mim está lindo como é óbvio, não só porque tem as minhas cores da vida como também tem um símbolo pelo qual eu sigo parte dos meus sonhos. pedi a um verdadeiro artista (sim!) para dar a sua opinião e ele gostou. espero que todos gostem e se não gostarem também não há problema, a arte é isso mesmo, mas quanto a mim, o quadro tem lugar reservado na minha parede do quarto :)

domingo, 14 de junho de 2009

Camp Rock

"Play my music"

"(Music)
Listen on that radio
As loud as it can go
Wanna dance until my feet can't feel the ground
(Feel the ground)
Say goodbye to all my fears
One good song, they disappear
And nothing in the world can bring me down
( Can bring me down )

Hand-clapping
Hip-shaking
Heart-breaking
There's no faking
What you feel when
You're right at home
Yeah

Music's in my soul
I can hear it everyday and every night
It's the one thing on my mind
Music's got control
and I'm never letting go no no
I just wanna play my music
Whoa (music)

Got my six string on my back
Don't need anything but that
Everything I want is here with me
( Here with me )
So forget that fancy car
I don't need to go that far
What's driving me
Is following my dreams yeah

Hand-clapping
Earth-shaking
Heart-breaking
There's no faking
What you feel when
you're on a roll
Yeah

Music's in my soul
I can hear it everyday and every night
it's the one thing on my mind
Music's got control
and I'm never letting go no no
I just wanna play my music
I just wanna play my music

I can't imagine what I'd be like
( what I'd be like )
Without the sounds of all my heroes
Singin' all my favorite songs
So I can sing along

Music's in my soul
I can hear it everyday and every night
It's the one thing on my mind
Music's got control
and I'm never letting go no no
I just wanna play my music

Music's in my soul
I can hear it everyday and every night
It's the one thing on my mind
Music's got control
and I'm never letting go no no
I just wanna play my music all night long"

Carlos Puebla

"Hasta Siempre"

"Aprendimos a quererte
Desde la histórica altura
Donde el sol de tu bravura
Le puso un cerco a la muerte.

Aquí se queda la clara,
La entrañable transparencia,
De tu querida presencia
Comandante Che Guevara.
Tu mano gloriosa y fuerte
Sobre la historia dispara
Cuando todo santa clara
Se despierta para verte.

Aquí se queda la clara,
La entrañable transparencia,
De tu querida presencia
Comandante Che Guevara.

Vienes quemando la brisa
Con soles de primavera
Para plantar la bandera
Con la luz de tu sonrisa.

Aquí se queda la clara,
La entrañable transparencia,
De tu querida presencia
Comandante Che Guevara.

Tu amor revolucionario
Te conduce a nueva empresa
Donde esperan la firmeza
De tu brazo libertario.

Aquí se queda la clara,
La entrañable transparencia,
De tu querida presencia
Comandante Che Guevara.

Seguiremos adelante
Como junto a ti seguimos
Y con Fidel te decimos:
Hasta siempre comandante.

Aquí se queda la clara,
La entrañable transparencia,
De tu querida presencia
Comandante Che Guevara."

Sérgio Godinho

"A vida é feita de pequenos nadas"

"(Segunda-feira
trabalhei de olhos fechados
na terça-feira
acordei impaciente
na quarta-feira
vi os meus braços revoltados
na quinta-feira
lutei com a minha gente
na sexta-feira
soube que ia continuar
no sábado
fui à feira do lugar
mais uma corrida, mais uma viagem
fim-de-semana é para ganhar coragem)

Muito boa noite, senhoras e senhores
muito boa noite, meninos e meninas
muito boa noite, Manuéis e Joaquinas
enfim, boa noite, gente de todas as cores
e feitios e medidas
e perdoem-me as pessoas
que ficaram esquecidas
boa noite, amigos, companheiros, camaradas
a vida é feita de pequenos nadas
a vida é feita de pequenos nadas

Somos tantos a não ter quase nada
porque há uns poucos que têm quase tudo
mas nada vale protestar
o melhor ainda é ser mudo
isto diz de um gabinete
quem acha que o casse-tête
é a melhor das soluções
para resolver situações
delicadas
a vida é feita de pequenos nadas

E o que é certo
é que os que têm quase tudo
devem tudo aos que têm muito pouco
mas fechem bem esses ouvidos
que o melhor ainda é ser mouco
isto diz paternalmente
quem acha que é ponto assente
que isto nunca vai mudar
e que o melhor é começar a apanhar
umas chapadas
a vida é feita de pequenos nadas

(Segunda-feira
trabalhei de olhos fechados
na terça-feira
acordei impaciente
na quarta-feira
vi os meus braços revoltados
na quinta-feira
lutei com a minha gente
na sexta-feira
soube que ia continuar
no sábado
fui à feira do lugar
mais uma corrida, mais uma viagem
fim-de-semana é para ganhar coragem)

Muito boa noite, senhoras e senhores
muito boa noite, meninos e meninas
muito boa noite, Manuéis e Joaquinas
enfim, boa noite, gente de todas as cores
e feitios e medidas
e perdoem-me as pessoas
que ficaram esquecidas
boa noite, amigos, companheiros, camaradas
a vida é feita de pequenos nadas
a vida é feita de pequenos nadas

Ouvi dizer que quase tudo vale pouco
quem o diz não vale mesmo nada
porque não julguem que a gente
vai ficar aqui especada
à espera que a solução
seja servida em boião
com um rótulo: Veneno!
é para tomar desde pequeno
às colheradas
a vida é feita de pequenos nadas
boa noite, amigos, companheiros, camaradas
a vida é feita de pequenos nadas."

sábado, 13 de junho de 2009

Desvaneios da mente

É no silêncio de um grito que se ouvem as palavras do pensamento profundo...

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Camp Rock

"Gotta find you"

"Every time I think I'm closer to the heart...
Of what it means to know just who I am
I think I've finally found a better place to start
But no one ever seems to undestand

I need to try to get to where you are
Could it be you're not that far


You're the voice I hear inside my head
The reason that I'm singin'
I need to find you
I gotta find you
You're the missing piece I need
The song inside of me
I need to find you
I gotta find you
Oh yeah, yeah yeah

You're the remedy I'm searching hard to find
To fix some puzzles that I see inside
Painting on my dreams the color of your smile
When I find you it will be alright

I need to try to get to where you are
Could it be you're not that far


You're the voice I hear inside my head
The reason that I'm singin'
I need to find you
I gotta find you
You're the missing piece I need
The song inside of me
I need to find you
I gotta find you

Been felling lost, can't find the words to say
Spending all my time stuck in yesterday
Where you are is where I wanna be
Oh next to you... you next to me
Oh! I need to find you...Yeah


You're the voice I hear inside my head
The reason that I'm singin'
I need to find you
I gotta find you
yeah!yeah!
You're the missing piece I need
The song inside of me
I need to find you
I gotta find you

You're the voice I hear inside my head
The reason that I'm singin'
I need to find you
I gotta find you
You're the missing piece I need
The song inside of me
I need to find you
I gotta find you

Yeah!Yeah!
I gotta find you..."

Camp Rock

"This is me"

"I've always been the kind of girl
That hid my face
So afraid to tell the world
What I've got to say
But I have this dream
Right inside of me
I'm gonna let it show it's time
To let you know
It's to let you know

This is real
This is me
I'm exactly where I'm supposed to be, now
Gonna let the light
Shine on me
Now I've found who I am there's no way to hold it in
No more hidding who I wanna be
This is me

Do you know what it's like
To feel so in the dark
To dream about a life
Where you're the shining star
Even though it seems
Like it's too far away
I have to believe in myself
It's the only way

This is real
This is me
I'm exactly where I'm supposed to be, now
Gonna let the light
Shine on me
Now I've found who I am
There's no way to hold it in
No more hidding who I wanna be
This is me

Joe:

You're the voice I hear inside my head
The reason that I'm singing
I need to find you, I gotta find you
You're the missing piece I need
The song inside of me
I need to find you, I gotta find you

This is real
This is me
I'm exactly where I'm supposed to be, now
Gonna let the light shine on me
Now I've found who I am
There's no way to hold it in
No more hidding who I wanna be
This is me

This is me...you're the missing piece I need
The song inside of me
This is me...you're the voice I hear inside of me
The reason that I'm singing
Now I've found who I am
There's no way to hold it in
No more hidding who I wanna be
This is me"

Camp Rock (vejam as letras e percebam! :] )

"Here I am"

"They tell you a good girl is quiet
That you should never ask why
Cause it only makes it harder to fit in
You should be happy, excited
Even if you're just invited
Cause the winners need someone to clap for them

It's so hard just waiting
In a line that never moves
It's time you started making
Your own rules

You gotta scream until there's nothing left
With your last breath
Say here I am
Here I am
Make em listen
Cause there is no way you'll be ignored
Not anymore
So here I am
Here I am
Here I am
Here I am

You only get one life to work it
So who cares if it's not perfect
I say it's close enough to perfect for me
Why should you hide from the thunder
And the lightning that you're under
Cause there ain't nobody else you want to be

If how you're living isn't working
There's one thing that will help
You gotta finally just stop searching
To find yourself

You gotta scream until there's nothing left
With your last breath
Say here I am
Here I am
Make em listen
Cause there is no way you'll be ignored
Not anymore
So here I am
Here I am
Here I am

The world better make some room
Yea move over, over
Cause you're coming through
Cause you're coming through

You gotta scream until there's nothing left
With your last breath
Here I am
Here I am
Make em listen
Cause there is no way you'll be ignored
Not anymore
So here I am
Here I am
Here I am
Here I am
Here I am"

Bobby Mcferrin

"Don't worry, be happy"

"Here's a little song i wrote,
You might want to sing it note for note,
Don't worry, be happy

In every life we have some trouble,
When you worry you make it double
Don't worry, be happy

Dont worry be happy now
Dont worry be happy
Dont worry be happy
Dont worry be happy
Dont worry be happy

Aint got no place to lay your head,
Somebody came and took your bed,
Don't worry, be happy

The landlord say your rent is late,
He may have to litigate,
Dont worry (small laugh) be happy,

Look at me im happy,
Don't worry, be happy

I give you my phone number,
When your worried, call me,
I make you happy

Don't worry, be happy

Ain't got no cash, aint got no style,
Ain't got no girl to make you smile
But don't worry, be happy

Cause when you worry, your face will frown,
And that will bring everybody down,
So don't worry, be happy

Don't worry, be happy now...

Don't worry, be happy
Don't worry, be happy
Don't worry, be happy
Don't worry, be happy

Now there this song i wrote
I hope you you learned it note for note
Like good little children

Dont worry be happy

Listen to what i say
In your life expect some trouble
When you worry you make it double
Dont worry be happy
Be happy now

Dont worry, be happy
Dont worry, be happy
Dont worry, be happy
Dont worry, be happy
Dont worry
Dont worry be happy
Don't worry, don't worry, don't do it,
Be happy,put a smile on your face,
Don't bring everybody down like this

Don't worry, it will soon pass whatever it is,
Don't worry, be happy,
I'm not worried"

Bob Marley

"No Woman, no cry"

"No woman no cry
No woman no cry
No woman no cry
No woman no cry

say, say,
Say I remember when we used to sit
In a government yard in Trenchtown
Observing the hypocrites
As they would mingle with the good people we meet
Good friends we have
Oh, good friends we lost
Along the way
In this great future,
You can't forget your past
So dry your tears, I seh

No woman no cry
No woman no cry
Little darling, don't shed no tears
No woman no cry

Say, Say
Said I remember when we use to sit
In the government yard in Trenchtown
And then Georgie would make the fire lights
I seh, log would burnin' through the nights
Then we would cook cornmeal porridge
Of which I'll share with you
My feet is my only carriage
And so I've got to push on through,
Oh, while I'm gone

Everything 's gonna be alright
Everything 's gonna be alright

No woman no cry
No woman no cry

Woman little sister
Don't shed no tears
No woman no cry"

Bob Marley

"One Love"

"
One Love!
One Heart!
Let's get together and feel all right.
Hear the children cryin'
(One Love!);
Hear the children cryin'
(One Heart!),
Sayin': give thanks and praise
to the Lord and I will feel all right;
Sayin': let's get together
and feel all right.
Wo wo-wo wo-wo!

Let them all pass all their dirty
remarks (One Love!);
There is one question
I'd really love to ask (One Heart!):
Is there a place for the hopeless sinner,
Who has hurt all mankind just
to save his own beliefs?

One Love! What about the one heart?
One Heart!
What about?
Let's get together and feel all right
As it was in the beginning
(One Love!);
So shall it be in the end
(One Heart!),
All right!
Give thanks and praise to the Lord
and I will feel all right;
Let's get together
and feel all right.
One more thing!

Let's get together to fight
this Holy Armagiddyon (One Love!),
So when the Man comes there will be no,
no doom (One Song!).
Have pity on those whose
chances grows t'inner;
There ain't no hiding place
from the Father of Creation.

Sayin': One Love!
What about the One Heart?
(One Heart!)
What about the?
Let's get together and feel all right.
I'm pleadin' to mankind!
(One Love!);
Oh, Lord!
(One Heart)
Wo-ooh!

Give thanks and praise to the Lord
and I will feel all right;
Let's get together and feel all right.
Give thanks and praise to the Lord
and I will feel all right;
Let's get together and feel all right."

Bob Marley

"Everything gonna be alright"

""Don't worry about a thing,
'Cause every little thing gonna be all right.
Singin': "Don't worry about a thing,
'Cause every little thing gonna be all right!"

Rise up this mornin',
Smiled with the risin' sun,
Three little birds
Pitch by my doorstep
Singin' sweet songs
Of melodies pure and true,
Sayin', ("This is my message to you-ou-ou:")

Singin': "Don't worry 'bout a thing,
'Cause every little thing gonna be all right."
Singin': "Don't worry (don't worry) 'bout a thing,
'Cause every little thing gonna be all right!"

Rise up this mornin',
Smiled with the risin' sun,
Three little birds
Pitch by my doorstep
Singin' sweet songs
Of melodies pure and true,
Sayin', "This is my message to you-ou-ou:"

Singin': "Don't worry about a thing, worry about a thing, oh!
Every little thing gonna be all right. Don't worry!"
Singin': "Don't worry about a thing" - I won't worry!
"'Cause every little thing gonna be all right."

Singin': "Don't worry about a thing,
'Cause every little thing gonna be all right" - I won't worry!
Singin': "Don't worry about a thing,
'Cause every little thing gonna be all right."
Singin': "Don't worry about a thing, oh no!
'Cause every little thing gonna be all right! "

Bob Marley

"Get up Stand up"

"Get up, stand up: stand up for your rights!
Get up, stand up: stand up for your rights!
Get up, stand up: stand up for your rights!
Get up, stand up: don't give up the fight!

Preacherman, don't tell me,
Heaven is under the earth.
I know you don't know
What life is really worth.
It's not all that glitters is gold;
'Alf the story has never been told:
So now you see the light, eh!
Stand up for your rights. Come on!

Get up, stand up: stand up for your rights!
Get up, stand up: don't give up the fight!
Get up, stand up: stand up for your rights!
Get up, stand up: don't give up the fight!

Most people think,
Great God will come from the skies,
Take away everything
And make everybody feel high.
But if you know what life is worth,
You will look for yours on earth:
And now you see the light,
You stand up for your rights. Jah!

Get up, stand up! (Jah, Jah!)
Stand up for your rights! (Oh-hoo!)
Get up, stand up! (Get up, stand up!)
Don't give up the fight! (Life is your right!)
Get up, stand up! (So we can't give up the fight!)
Stand up for your rights! (Lord, Lord!)
Get up, stand up! (Keep on struggling on!)
Don't give up the fight! (Yeah!)

We sick an' tired of-a your ism-skism game -
Dyin' 'n' goin' to heaven in-a Jesus' name, Lord.
We know when we understand:
Almighty God is a living man.
You can fool some people sometimes,
But you can't fool all the people all the time.
So now we see the light (What you gonna do?),
We gonna stand up for our rights! (Yeah, yeah, yeah!)

So you better:
Get up, stand up! (In the morning! Git it up!)
Stand up for your rights! (Stand up for our rights!)
Get up, stand up!
Don't give up the fight! (Don't give it up, don't give it up!)
Get up, stand up! (Get up, stand up!)
Stand up for your rights! (Get up, stand up!)
Get up, stand up! ( ... )
Don't give up the fight! (Get up, stand up!)
Get up, stand up! ( ... )
Stand up for your rights!
Get up, stand up!
Don't give up the fight!"

Bob Marley

"Is this love"

"I wanna love you and treat you right
I wanna love you every day and every night
We'll be together with a roof right over our heads
We'll share the shelter of my single bed
We'll share the same room, yeah, oh jah provide the bread

Is this love, is this love, is this love
Is this love that I'm feeling?
Is this love, is this love, is this love
Is this love that I'm feeling?

I wanna know, wanna know, wanna know now
I got to know, got to know, got to know now
I, I, I, I, I, I, I, I, I, I'm willing and able
so I throw my cards on your table

I wanna love you, I wanna love and treat, love and treat you right
I wanna love you every day and every night
We'll be together yeah, with a roof right over our heads
We'll share the shelter yeah, oh yeah, of my single bed
We'll share the same room yeah, oh jah provide the bread

Is this love, is this love, is this love
Is this love that I'm feeling?
Is this love, is this love, is this love
Is this love that I'm feeling?
wo-o-o-oah!

Oh yes I know, yes I know, yes I know now
Oh yes I know, yes I know, yes I know now
I, I, I, I, I, I, I, I, I, I'm willing and able
so I throw my cards on your table

See I wanna love ya, I wanna love and treat ya, love and treat you right
I wanna love you every day and every night
We'll be together with a roof right over our heads
We'll share the shelter of my single bed
We'll share the same room yeah, oh jah provide the bread
We'll share the shelter of my single bed"

Bob Marley

"Could you be loved"

"Could you be loved and be loved?
Could you be loved and be loved?

Don't let them fool ya,
Or even try to school ya! Oh, no!
We've got a mind of our own,
So go to hell if what you're thinking is not right!
Love would never leave us alone,
A-yin the darkness there must come out to light.

Could you be loved and be loved?
Could you be loved, wo now! - and be loved?

(The road of life is rocky and you may stumble too,
So while you point your fingers someone else is judging you)
Love your brotherman!
(Could you be - could you be - could you be loved?
Could you be - could you be loved?
Could you be - could you be - could you be loved?
Could you be - could you be loved?)

Don't let them change ya, oh! -
Or even rearrange ya! Oh, no!
We've got a life to live.
They say: only - only -
only the fittest of the fittest shall survive -
Stay alive! Eh!

Could you be loved and be loved?
Could you be loved, wo now! - and be loved?

(You ain't gonna miss your water until your well runs dry;
No matter how you treat him, the man will never be satisfied.)
Say something! (Could you be - could you be - could you beloved?
Could you be - could you be loved?)
Say something! Say something!
(Could you be - could you be - could you be loved?)
Say something! (Could you be - could you be loved?)
Say something! Say something! (Say something!)
Say something! Say something! (Could you be loved?)
Say something! Say something! Reggae, reggae!
Say something! Rockers, rockers!
Say something! Reggae, reggae!
Say something! Rockers, rockers!
Say something! (Could you be loved?)
Say something! Uh!
Say something! Come on!
Say something! (Could you be - could you be - could you beloved?)
Say something! (Could you be - could you be loved?)
Say something! (Could you be - could you be - could you beloved?)
Say something! (Could you be - could you be loved?)"

terça-feira, 9 de junho de 2009

Ala dos Namorados

"Loucos de Lisboa"

"Parava no café quando eu lá estava
Na voz tinha o talento dos pedintes
Entre um cigarro e outro lá cravava a bica
Ao melhor dos seus ouvintes

As mãos e o olhar da mesma cor
Cinzenta como a roupa que trazia
Num gesto que podia ser de amor sorria
E ao partir agradecia

São os loucos de Lisboa
Que nos fazem duvidar
Que a Terra gira ao contrário
E os rios nascem no mar

Um dia numa sala do quarteto
Passou um filme lá do hospital
Onde o esquecido filmado no gueto entrava
Como artista principal

Compramos a entrada p'ra sessão
Pra ver tal personagem no écrã
O rosto maltratado era a razão de ele
Não aparecer pela manhã

Mudamos muita vez de calendário
Como o café mudou de freguesia
Deixamos de tributo a quem lá
Pára um louco
A fazer-lhe companhia

E sempre a mesma voz o mesmo olhar
De quem não mede os dias que vagueiam
Sentado la continua a cravar beijinhos
Às meninas que passeiam."

Cabeças no ar

"Orlando de vez em quando"

"Sou um patinho assim, assim
Não há quem repare em mim
Não sou triste nem zangado
Eu sou só um pouco reservado

Não sou loiro, não sou alto
Não corro muito depressa
Não tenho tempo de salto
Não remato nunca de cabeça

Eu sou um Orlando
E só venho à escola
De vez em quando
De vez em quando

Os dias lá no meu meio
São muito mais não que sim
Não sou um patinho feio
As águas é que fogem de mim

Se as águas fossem iguais
P’ra quem começa a nadar
Talvez eu viesse mais
Talvez até ousasse voar

Eu sou um Orlando
E só venho à escola
De vez em quando
De vez em quando

Se alguém se lembrar de mim
E disser: “O Orlando veio.”
Diga-lhe que hoje vim
Mas fiquei sozinho no recreio

Eu sou um Orlando
E só venho à escola
De vez em quando
De vez em quando"

Cabeças no ar

"Hora de acordar"

"É hora de acordar, chama o despertador
Toda a casa me chama, o que dava por ficar
Mais meia hora na cama, mas é hora de acordar
É hora de acordar...

É hora de abalar, seis quilos pesa a sacola
É o peso da instrução, chego tarde às horas da escola
Saio de lá cidadão, é hora de abalar
É hora de abalar...

Quem me dera ir à escola, num feliz passo ligeiro
E não com ar de quem vai para a cadeira do barbeiro
Quem me dera ir escola, num feliz passo ligeiro...

Quem me dera perguntar, sem ter medo de errar
Será o sol uma gema, de um ovo por estrelar
Quem me resolve o problema, que é hora de acordar
É hora de acordar...

Quem me dera estar na sala, como quando estou lá fora
Onde tudo me interessa, e o tempo não tem hora
Quem me dera estar na sala,
Como quando estou lá fora...

Quem me dera ir à escola, num feliz passo ligeiro
E não com ar de quem vai para a cadeira do barbeiro
Quem me dera ir escola, num feliz passo ligeiro...

É hora de acordar
É hora de acordar
É hora de acordar
É hora de acordar
É hora de acordar"

Cabeças no ar

"Primeiro Beijo"

"Recebi o teu bilhete
Para ir ter ao jardim
A tua caixa de segredos
Queres abri-la para mim

E tu não vais fraquejar
Ninguém vai saber de nada
Juro não me vou gabar
A minha boca é sagrada

De estar mesmo atrás de ti
Ver-te da minha carteira
Sei de cor o teu cabelo
Sei o champôo a que cheira

Já não como já não durmo
E eu caia se te minto
Haverá gente informada
Se é amor tudo o que sinto

Quero o meu primeiro beijo
Não quero ficar impune
E dizer-te cara a cara
Muito mais é o que nos une
Que aquilo que nos separa

Promete lá outro encontro
Foi tão fugaz que nem deu
Para ver como era o fogo
Que a tua boca prometeu

Pensava que a tua língua
Sabia à flor do jasmim
Sabe a chicla de mentol
E eu gosto dela assim

Quero o meu primeiro beijo
Não quero ficar impune
E dizer-te cara a cara
Muito mais é o que nos une
Que aquilo que nos separa"

Cabeças no ar

"Baile da biblioteca"

"Sou o vosso professor
E sei de um baile de gala
Que se dá todas as noites
Nas estantes da tua sala

Olha Ulisses o Argonauta
A dançar com o mar à proa
Aquele é o senhor Fernando
A dançar com a sua Pessoa

Olha o mestre Gil Vicente
Entre a raínha e o bobo
E aquele à frente é o Aleixo
É o poeta do povo

É o baile, é o baile, é o baile
É o baile, é o baile, é o baile
É o baile, é o baile, é o baile, é o baile
Da biblioteca

Sai o Zorro de rompante
Numa lombada de couro
A declarar ser migrante
Para a ilha do tesouro

Ao piano o Conde d'Abranhos
Não dá sinais de abrandar
É preciso o sol nascer
Para o baile acabar

Como se anda Dom Quixote
Largando da mão a lança
Vamos dormir criaturas
Que amanhã também se dança

É o baile, é o baile, é o baile
É o baile, é o baile, é o baile
É o baile, é o baile, é o baile, é o baile
Da biblioteca"

António Variações

"Canção do engate"

"Tu estás livre e eu estou livre
E há uma noite para passar
Porque não vamos unidos
Porque não vamos ficar
Na aventura dos sentidos

Tu estás só e eu mais só estou
Que tu tens o meu olhar
Tens a minha mão aberta
À espera de se fechar
Nessa tua mão deserta

Vem que o amor
Não é o tempo
Nem é o tempo
Que o faz
Vem que o amor
É o momento
Em que eu me dou
Em que te dás
Tu que buscas companhia
E eu que busco quem quiser
Ser o fim desta energia
Ser um corpo de prazer
Ser o fim de mais um dia

Tu continuas à espera
Do melhor que já não vem
E a esperança foi encontrada
Antes de ti por alguém
E eu sou melhor que nada"

domingo, 7 de junho de 2009

Ala dos Namorados (letra de Florbela Espanca)

"Perdidamente"

"Ser poeta é ser mais alto,é ser maior
do que os homens, morder como quem beija
É ser mendigo e dar como seja
É ser rei do reino de aquém e de além dor

É ter de mil desejos o explendor
E não saber sequer que se deseja
É ter ca dentro um astro que flameja
É ter garras e asas de condor...

É ter fome, é ter sede de infinito
Por essas manhãs d'ouro e de cetim
É condensar o mundo num só grito...

E é amar-te assim, perdidamente
É seres alma e sangue e vida em mim
E dizê-lo cantando, a toda a gente..."

António Variações

"Estou além"

"Não consigo dominar
Este estado de ansiedade
A pressa de chegar
P'ra não chegar tarde
Não sei de que é que eu fujo
Será desta solidão
Mas porque é que eu recuso
Quem quer dar-me a mão

Vou continuar a procurar a quem eu me quero dar
Porque até aqui eu só

Quero quem
Quem eu nunca vi
Porque eu só quero quem
Quem não conheci
Porque eu só quero quem
Quem eu nunca vi
Porque eu só quero quem
Quem não conheci
Porque eu só quero quem
Quem eu nunca vi

Esta insatisfação
Não consigo compreender
Semtre esta sensação
Que estou a perder
Tenho pressa de sair
Quero sentir ao chegar
Vontade de partir
P'ra outro lugar

Vou continuar a procurar o meu mundo, o meu lugar
Porque até aqui eu só

Estou bem
Aonde não estou
Porque eu só estou bem
Aonde eu não vou
Porque eu só estou bem
Aonde não estou
Porque eu só estou bem
Aonde eu não vou
Porque eu só estou bem
Aonde não estou"

Ala dos Namorados

"Solta-se o beijo"

"Espreito por uma porta encostada
Sigo as pegadas de luz
Peço ao gato "xiu" para não me denunciar

Toca o relógio sem cuco
Dá horas à cusquice das vizinhas e eu
Confesso às paredes de quem gosto
Elas conhecem-te bem

Aconhego-me nesta cumplicidade
Deixo-me ir nos trilhos traçados
Pela saudade de te encontrar
Ainda onde te deixei

Trago-te o beijo prometido
Sei o teu cheiro mergulho no teu tocar
Abraças a guitarra e voas para além da lua

Amarro o beijo que se quer soltar
Espero que me sintas para me entregar
A cadeira, as costas, o cabelo e a cigarrilha
A dança do teu ombro...

E nesse instante em que o silêncio
É o bater do coração
Fecha-se a porta
Pára o relógio
As vizinhas recolhem
Tu olhas-me...

Tu olhas-me...

Trago-te o beijo prometido
Sei o teu cheiro, mergulho no teu tocar
Abraças a guitarra e voas para além da lua

Amarro o beijo que se quer soltar
Espero que me sintas para me entregar
A cadeira, as costas, o cabelo e a cigarrilha
A dança do teu ombro...

E, nesse instante em que o silêncio
É o bater do coração
Fecha-se a porta
Pára o relógio
As vizinhas recolhem

Solta-se o beijo, o gato mia...
Solta-se o beijo, o gato mia...
Solta-se o beijo, o gato mia...

Tu olhas-me...
Tu olhas-me...

Solta-se o beijo, o gato mia...
Solta-se o beijo, o gato mia...
Solta-se o beijo, o gato mia...

Espreito por uma porta encostada
Sigo as pegadas de luz
Peço ao gato "xiu" para não me denunciar"

Ala dos Namorados

"Ao fim do mundo (e ao cabo do teu ser)"

"Vou alimentar a tua sede de querer
Vou acicatar a tua fome de prazer
Vou ao fim do mundo
Vou tocar lá no teu fundo
Vou fechar o punho e pôr o sangue a ferver
Vou cerrar os dentes e morder o teu saber
Vou ao fim do mundo
Vou gritar lá no teu fundo
Sou teu
Sou teu
Sou assim só para quem dá
E só assim faz com que eu vá
Ao fim do mundo
Ao fim e ao cabo do teu ser
Sou e só apenas uma gota de suor
Sou um claro aceno quando rufa o tambor
Sou o fim do mundo
A contagem ao segundo
És todo o tempo que me resta à liberdade
És a minha luta que só fala com verdade
És o fim do mundo
À entrada da cidade
Sou teu
Sou teu
Sou assim só para quem dá
E só assim faz com que eu vá
Ao fim do mundo
Ao fim e ao cabo do teu ser
Vou fechar o punho e pôr o sangue a ferver
Vou cerrar os dentes e morder o teu saber
Vou ao fim do mundo
Vou gritar lá no teu fundo"

Ala dos namorados

"A história do Zé Passarinho"

"Pela saída que tem
Da vadiagem alguém
Chamou-lhe o Zé Passarinho
Fala em verso e as mulheres
Ao fim de duas colheres
Leva-as no bico p´ró ninho

Sabe os fados do Alfredo
Rima que até mete medo
Nesta função é doutor
Tem os tiques de fadista
Mão no bolso, lenço e risca
"Baixem a luz por favor!"

Uma triste noite ao frio
Cantava-se ao desafio
Para aquecer as paixões
Quando um estranho se levanta
Para mostrar como se canta
Faz-se à Rosa dos Limões

O povo ficou sentido
Com aquele destemido
"Ha-des" morrer engasgado!
Palavra puxa palavra
Desata tudo à estalada
Com o posto ali ao lado

Nem foi preciso a carrinha
Tudo na sua perninha
Numa linda procissão
Das perguntas com carinho
Ficou preso o Passarinho
Só para investigação

Nasce o dia atrás da Sé
E ninguém arreda pé
Nem por dó, nem por esmola
O povo ficou sentado
Para ouvir cantar o fado
Passarinho na gaiola"

Ala dos namorados

"Razão de viver"

"Deixa ser como o luar, à minha vontade
como a águia ser a águia, sem nenhum problema...
ser a cor teu grão de areia, a minha unidade
do deserto e do mar, que coisa pequena...
ter do tempo a claridade do sol promissor
como o índio, ser o índio e valer a pena

E valer a pena...
sem outra razão e valer a pena...

Ai se eu pudesse... ter a paz...!
para te dar... um pouco do céu!
um pouco do sonho, um pouco de paz...
sem outra razão já valia a pena...

Ser de rir e de chorar
ser do meu momento
como o vento, ser o vento e a sua feição...
ter da flor a sua essência só pelo prazer...
só o ser... só o ser sem a condição...
amar-te só porque sim e valer a pena
só o sim, só o sim sem a explicação...
e valer a pena... sem outra razão e valer a pena..."

Louis Armstrong

"What a wonderful world"

"I see trees of green, red roses too
I see them bloom for me and you
And I think to myself, what a wonderful world

I see skies so blue and clouds so white
The bright blessed day, the dark say goodnight
And I think to myself, what a wonderful world

The colors of the rainbow, so pretty in the sky
Are also on the faces of people going by
I see friends shaking hands, saying, "how do you do?"
They're really saying, "I love you"

I hear babies cry, I watch them grow
They'll learn much more, than I'll never know
And I think to myself, what a wonderful world

Yes, I think to myself, what a wonderful world"

Jane Monheit

"Over the rainbow"

"Somewhere over the rainbow
Way up high
There's a land that I heard of
Once in a lullaby

Somewhere over the rainbow
Skies are blue
And the dreams that you dare to dream
Really do come true

Someday I'll wish upon a star
And wake up where the clouds are far behind me
Where troubles melt like lemon drops
Away above the chimney tops
That's where you'll find me

Somewhere over the rainbow
Bluebirds fly
Birds fly over the rainbow
Why then, oh why can't I?

If happy little bluebirds fly
beyond the rainbow
Oh why, oh why can't I?"

sábado, 6 de junho de 2009

Pearl Jam

"Last kiss"

"Oh where, oh where, can my baby be?
The Lord took her away from me.
She's gone to heaven so I've got to be good,
So I can see my baby when I leave this world.

We were out on a date in my daddy's car,
We hadn't driven very far.
There in the road straight ahead,
A car was stalled, the engine was dead.
I couldn't stop, so I swerved to the right,
I'll never forget the sound that night.
The screaming tires, the busting glass,
The painful scream that I heard last.

Oh where, oh where, can my baby be?
The Lord took her away from me.
She's gone to heaven so I've got to be good,
So I can see my baby when I leave this world.

When I woke up, the rain was pouring down,
There were people standing all around.
Something warm flowing through my eyes,
But somehow I found my baby that night.
I lifted her head, she looked at me and said;
"Hold me darling just a little while."
I held her close I kissed her - our last kiss,
I found the love that I knew I had missed.
Well now she's gone even though I hold her tight,
I lost my love, my life that night.

Oh where, oh where, can my baby be?
The Lord took her away from me.
She's gone to heaven so I've got to be good,
So I can see my baby when I leave this world."

Sara Tavares

"Bom feeling"

"Yeah, yeah,yeah
Yeah,yeah, yeah(2x)

Bom feeling...
Yeah, yeah, yeah...
Bom feeling...
Yeah, yeah, yeah...
Bom feeling...

Deixa a janela do sorriso aberta,
Coisa boa, boa,
Coisa desperta,
Canta caia, caia nos liberta
Caia, Caia
Deixa a janela do sorriso aberta,
Coisa boa, boa,
Coisa desperta,
Canta caia, caia nos liberta.

Dá-me um...
Bom feeling...
Bom feeling...
Yeah, yeah, Yeah
Bom feeling...
Bom feeling...
Yeah, yeah, Yeah

Deixa de complicação,
Deixa de confusão,
Liberta a alma dessa prisão,
Deixa-te guiar pelo coração.
Deixa de complicação
Deixa de confusão
Liberta a alma dessa prisão
Deixa-te guiar pelo coração.

Dá-me um...
Bom feeling...
Yeah, yeah, Yeah
Bom feeling...
Yeah, yeah, Yeah
Bom feeling...
Yeah, yeah, Yeah
Bom feeling...
Yeah, yeah, Yeah

- Esse coração assim desagasalhado, vais sair assim?
- O sorriso aonde é que está?
- 'Tás a pensar que vais aonde assim?
- Tens mesmo é que buscar, buscar, buscar, ir fundo, ri só, ri só!

Dá-me um bom feeling dentro de ti,
Que eu dou-te um bom feeling dentro de mim,
Bom feeling para voar,
Bom feeling para motivar!
Bom feeling dentro de ti,
Que eu dou-te um bom feeling dentro de mim,
Bom feeling para levar,
Bom feeling para nos fazer sorrir!

Bom feeling...
Bom feeling...
Bom feeling...
Bom feeling...
Bom feeling...
Bom feeling...
Bom feeling...

Bom feeling para cantar!
Bom feeling para curtir!
Bom feeling para dançar!
Bom feeling para nos fazer sorrir!

Bom feeling...

- Queres feeling, feeling, feeling?
- Bom feeling cor-de-rosa, amarelo, azul, branco, de todas as cores...
- Quantos é que queres? Rebuçados, doces?
- Olhem o meu bom feeling, olhem o meu bom feeling!

Bom feeling...
Bom feeling...
Bom feeling...
- Bom feeling é a cor do amor, é a cor da paz...
- É só abrir um sorriso, é só deixar passar.
- Fui, com o vento!"

Tiago Bettencourt

"Canção simples"

"Há qualquer coisa de leve na tua mão,
Qualquer coisa que aquece o coração
Há qualquer coisa quente quando estás,
Qualquer coisa que prende e nos desfaz

Fazes muito mais que o sol
Fazes muito mais que o sol

A forma dos teus braços sobre os meus,
O tempo dos meus olhos sobre os teus
Desço nos teus ombros para provar
Tudo o que pediste para levar

Fazes muito mais que o sol
Fazes muito mais que o sol
Fazes muito mais que o sol
Fazes muito mais...

Tens os raios fortes a queimar
Todo o gelo frio que construí
Entras no meu sangue devagar
E eu a transbordar dentro de ti

Tens os raios brancos como um rio,
Sou quem sai do escuro para te ver,
Tens os raios puros no luar,
Sou quem grita fundo para te ter

Fazes muito mais que o sol
Fazes muito mais que o sol
Fazes muito mais que o sol
Fazes muito mais...

Quero ver as cores que tu vês
Para saber a dança que tu és
Quero ser do vento que te faz
Quero ser do espaço onde estás

Deixa ser tão leve a tua mão,
Para ser tão simples a canção
Deixa ser das flores o respirar
Para ser mais fácil te encontrar

Fazes muito mais que o sol
Fazes muito mais que o sol
Fazes muito mais que o sol
Fazes muito mais...

Vem quebrar o medo, vem
Saber se há depois
E sentir que somos dois,
Mas que juntos somos mais

Quero ser razão para seres maior
Quero te oferecer o meu melhor
Quero ser razão para seres maior
Quero te oferecer o meu melhor

Fazes muito mais que o sol
Fazes muito mais que o sol
Fazes muito mais que o sol
Fazes muito mais que o sol
Fazes muito mais que o sol"

The Killers

"Read my mind"

"On the corner of main street
Just tryin' to keep it in line
You say you wanna move on and
You say I'm falling behind

Can you read my mind?
Can you read my mind?

I never really gave up on
Breakin' out of this two-star town
I got the green light
I got a little fight
I'm gonna turn this thing around

Can you read my mind?
Can you read my mind?

The good old days
The honest man
The restless heart
A promised land
A subtle kiss
That no one sees
A broken wrist
And the big trapeize

Oh well I don't mind
If you don't mind
'Cause I don't shine
If you don't shine
Before you go

Can you read my mind?

It`s funny how we just break down
Waitin' on some sign
I pull up to the front of your driveway
With magic soakin' my spine

Can you read my mind?
Can you read my mind?

The teenage queen
The loaded gun
The drop-dead dream
The Chosen One
A southern drawl
A world unseen
A city wall
And a trampoline

Oh well I don't mind
If you don't mind
Cause I don't shine
If you don't shine
Before you jump
Tell me what you find
When you read my mind

Slippin in my faith
Until I fall
He never returned that call
Woman, open the door
Don't let it stay
I wanna breed that fire again

She said
I don't mind
If you don't mind
Cuz I don't shine
If you don't shine
Put your back on me
Put your back on me
Put your back on me

(ooooooo)

The stars are blazing
Like rebel diamonds
Cut out of the sun
When you read my mind"

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Jack Johnson

"Good people"

"You win it’s your show now
So what’s it going to be?
Because people will tune in
How many train wrecks do we need to see?
Before we lose touch
And we thought this was low
Well it’s bad, getting worse….

Where’d all the good people go?
I’ve been changing channels and I don’t see them on the tv shows
Where’d all the good people go?
We’ve got heaps and heaps of what we sow

They got this and that with a rattle a tat
Testing, one, two, man whatcha gonna do
Bad news misused, got too much to lose
Give me some truth now, who’s side are we on
Whatever you say
Turn on the boob tube, I’m in the mood to obey
So lead me astray
And by the way now…

Where’d all the good people go?
I’ve been changing channels and I don’t see them on the tv shows
Where’d all the good people go?
We’ve got heaps and heaps of what we sow

Sitting around feeling far away
So far away but I can feel the debris, can you feel it?
You interrupt me from a friendly conversation
To tell me how great it all is going to be
You might notice some hesitation
Because its important to you, it’s not important to me
But way down by the edge of your reason
It’s beginning to show and all I really wanna know is…

Where’d all the good people go?
I’ve been changing channels and I don’t see them on the tv shows
Where’d all the good people go?
We got heaps and heaps of what we sow

They got this and that with a rattle a tat
Testing one, two man whatcha gonna do
Bad news misused give me some truth
You got too much to lose
Whose side are we on today, anyway
Okay, whatever you say
Wrong and resolute but in the mood to obey
Station to station desensitizing the nation
Going, going, gone"

Censurados

"Coxa"

"Olhem para a coxa
Todo o dia a saltar
Será mesmo coxa
Ou será que me estás a enganar

Olhem para a coxa (wooowooo)
Que na verdade sabe andar (sabe andaaar)
Olhem para a coxa
Que não é nada tosca
Olhem para a coxa sabe andar

Por esse mundo fora
há sempre uma coxa
que está sempre a dizer
eu sou coxa tenho de viver

Olhem para a coxa (wooowooo)
Que na verdade sabe andar (sabe andaaar)
Olhem para a coxa
Que não é nada tosca
Olhem para a coxa sabe andar

E aqui no nosso país
O que não faltam são coxas
Que estão sempre a saltar
Depois do dia todo acabar

Olhem para a coxa (wooowooo)
Que na verdade sabe andar (sabe andaaar)
Olhem para a coxa
Que não é nada tosca
Olhem para a coxa sabe andar

Olhem para a coxa
Todo o dia a saltar
Será mesmo coxa
Ou será que me estás a enganar

Olhem para a coxa (wooowooo)
Que na verdade sabe andar (sabe andaaar)
Olhem para a coxa
Que não é nada tosca
Olhem para a coxa sabe andar
A coxa sabe andar, a coxa sabe andar, a coxa sabe andaaar..."

Toranja

"Dá-me ar"

"Dá-me ar
Dá-me espaço para respirar
Dá-me tempo para sofrer
Quero alcoól para comer
Quero um muro para espancar
Até doer...

Dá-me ar
Quero vento para tentar
Quero luz só para me ver
Quero ferro para trincar
Quero olhar de frente o sol
Até queimar...

Dá-me ar...

Quero mais
Quero um trono para perder
Quero um quarto para gritar
Quero gente para roer
Quero um mundo para puxar
Até morrer...

Dá-me mais
Quero terra para comer
Quero Deuses para lutar
que o mais fácil é perder
que o difícil é pensar
em acordar...


Dá-me ar...

Dou-te cor
Dou-te vidas para cantar
Dou-te raiva para dançar
por cima do que é meu
Dá-me ar."

Toranja

"Carta"

"Não falei contigo
Com medo que os montes e vales que me achas
Caíssem a teus pés...
Acredito e entendo
Que a estabilidade lógica
De quem não quer explodir
Faça bem ao escudo que és...

Saudade é o ar
Que vou sugando e aceitando
Como fruto de verão
Nos jardins do teu beijo...
Mas sinto que sabes que sentes também
Que num dia maior serás trapézio sem rede
A pairar sobre o mundo
Em tudo o que vejo...

É que hoje acordei e lembrei-me
Que sou mago feiticeiro
Que a minha bola de cristal é folha de papel
Nela te pinto nua, nua
Numa chama minha e tua.
Numa chama minha e tua

Desconfio que ainda não reparaste
Que o teu destino foi inventado
Por gira-discos estragados
Aos quais te vais moldando...
E todo o teu planeamento estratégico
De sincronização do coração
São leis como paredes e tectos
Cujos vidros vais pisando...

Anseio o dia em que acordares
Por cima de todos os teus números
Raízes quadradas de somas subtraídas
Sempre com a mesma solução...
Podias deixar de fazer da vida
Um ciclo vicioso
Harmonioso ao teu gesto mimado
E à palma da tua mão...

É que hoje acordei e lembrei-me
Que sou mago feiticeiro
Que a minha bola de cristal é folha de papel
Nela te pinto nua, nua
Numa chama minha e tua.
Numa chama minha e tua.

Desculpa se te fiz fogo e noite
Sem pedir autorização por escrito
Ao sindicato dos deuses...
Mas não fui eu que te escolhi.
Desculpa se te usei
Como refúgio dos meus sentidos
Pedaço de silêncios perdidos
Que voltei a encontrar em ti...

É que hoje acordei e lembrei-me
Que sou mago feiticeiro...

...nela te pinto nua, nua
Numa chama minha e tua.
Numa chama minha e tua.

Ainda magoas alguém
O tiro passou-me ao lado
Ainda magoas alguém...
Se não te deste a ninguém
Magoaste alguém
A mim... passou-me ao lado.
A mim... passou-me ao lado."

Queen

"Somebody to love"

"Can anybody find me somebody to love?

Each morning I get up I die a little
Can barely stand on my feet
(Take a look at yourself)Take a look in the mirror and cry
Lord what you're doing to me
I have to spend all my years in believing you
But I just can't get no relief Lord
Somebody (somebody) ooh somebody (somebody)
Can anybody find me somebody to love?

I work hard (he works hard) everyday of my life
I work till I ache my bones
At the end (at the end of the day)
I take home my hard earned pay all on my own
I get down (down) on my knees (knees)
And I start to pray (praise the Lord)
'Til the tears run down from my eyes
Lord somebody (somebody) ooh somebody (please)
Can anybody find me somebody to love?
(He wants help)

Every day - I try and I try and I try -
But everybody wants to put me down
They say I'm goin' crazy
They say I got a lot of water in my brain
Got no common sense
I got nobody left to believe
Yeah - yeah yeah yeah
Ooh

Somebody (somebody)
Can anybody find me somebody to love?
(Anybody find me someone to love)
Got no feel I got no rhythm
I just keep losing my beat (you just keep losing and losing)
I'm OK I'm alright (he's alright)
I ain't gonna face no defeat
I just gotta get out of this prison cell
Some day I'm gonna be free Lord

Find me somebody to love find me somebody to love
Find me somebody to love find me somebody to love
Find me somebody to love find me somebody to love
Find me somebody to love find me somebody to love
Find me somebody to love find me somebody to love
Somebody somebody somebody somebody somebody
Find me somebody find me somebody to love
Can anybody find me somebody to love
Find me somebody to love
Find me somebody to love
Find me somebody to love
Find me find me find me
Find me somebody to love

Somebody to love
Find me somebody to love..."